Noticías do Concurso.

Não vim aqui antes porque estava literalmente travada pra falar do Concurso novamente. Sexta feira passada, depois de muito esforço meu e de pessoas muito queridas, consegui finalmente ficar entre os 10 mais votados. Já falei aqui da batalha que foi conseguir votos. No começo do Concurso, quando via meus votos aumentarem lentamente, pensei em não dar tanta importância e ficar na minha, afinal eu não sabia mais com que armas lutar pra conseguir votos. Daí que num certo domingo, me deu um clique e eu fui atrás desse meu sonho, de ter alguma coisa que eu escrevi reconhecida. Sem falsa modéstia, acho mesmo o meu texto muito bom e foi justamente isso que me fez ter forças pra continuar.

Não fiz sorteio, não vendi votos, não contratei ninguém pra conseguir pra mim. O máximo que eu fiz, foi entrar com contas de amigas minhas e pedir pros amigos delas, um por um, pra votarem no meu texto. Isso é trapacear?

Há uns dias atrás quando se deu toda aquela polêmica com o AJ Freire, que fez um sorteio pra quem votasse no texto dele, defendi a Limetree e pensei como uma das participantes, que na época estava entre os 3 primeiros lugares, Luíza Diener, que realmente não adiantava o povo trapacear pra ganhar votos, porque no final, o que contaria mesmo seria a qualidade dos textos.

Fiz uma tabela que todos os dias eu atualizava com os votos das 10 primeiras colocadas pra acompanhar e ver o quão eu ainda precisaria fazer mais campanhas. Com a chegada do último dia da votação, percebi que várias participantes começaram a aumentar seus votos e as primeiras permaneciam mais ou menos com a mesma quantidade, que era sempre disparada na frente. Então que eu passei a dispensar grande parte do meu dia, fazendo campanha pras pessoas votarem em mim. Marido começou a buscar filho na Escola pra eu ter uma horinha livre pra pedir voto, aonde eu ia perguntava quem tinha Facebook e fazia a pessoa votar em mim, quando o João dormia, corria pro computador e ia madrugada adentro deixando recado pras pessoas. Com todo esse empenho, também comecei a subir. Em nenhum momento me acomodei, até o último dia, lá estava eu, cancelando compromissos pra poder ficar na frente do computador.

Foi quando eu percebi que várias participantes que sempre estiveram bem colocadas, começaram a se igualar com o resto. Não sei se elas esgotaram os seus amigos, se pararam de pedir votos, só sei que a coisa começou a parecer mais justa. Acredito que merecia estar entre os 10 mais votados, quem lutou pra isso, com todas as armas que tinha.

Então que hoje de manhã, quando abri meu computador, super feliz, pra escrever um post aqui falando da minha alegria em não ter desistido, mesmo muita gente dizendo pra mim que eu estava parecendo uma mendiga, uma chata e o escambal, me deparo com a informação de que a Limetree decidiu alargar o número de finalistas, que antes era de 10, pra 15, alegando que a diferença de votos era pequena, renhida, como eles mesmo disseram, já que a empresa é de Portugal.

Na hora parecia que tinham dado um tapa na minha cara. Fui refletindo, pensando em quantas vezes fiquei exausta de tanto pedir voto, de quantas vezes deixei de planejar o meu casamento, que vai ser em 3 meses, pra me dedicar somente a isso, de quantas vezes não respondi os emails da minha mãe, que esta do outro lado do mundo, pra não perder o foco da votação e agora o Concurso simplesmente havia mudado uma regra, tão importante. Sabe quando você sente uma coisa dentro de si, uma vontade de sair gritando, xingando mas nem sabe pra quem? Deixei inbox pra empresa, mandei emails, deixei recado na página deles. E como resposta, recebi o regulamente do Concurso, aonde diz que eles podem alterar as regras a qualquer momento, e que mesmo que entendam a minha indignação, não imaginavam que essa alteração pudesse me fazer sentir assim. E que ao contrário de mim, as reações à esse alargamento foram super positivas. Eu sou sim uma pessoa solidária, nem li os textos que acabaram classificados também, não estou com medo de quem sabe perder pra outros bons textos, não estou dizendo que essas outras 5 participantes também não mereciam estar ali! Mas mesmo eu sendo tudo isso, pensando tudo isso, não posso me desapegar de um dos princípios que carrego comigo desde sempre, o da justiça. Eu posso ter todos os defeitos do mundo, mas sempre procuro ser uma pessoa justa. E como alguém que estudou Direito, fui avaliar o argumento utilizado por eles pra tomar essa decisão. Foi quando vi, que as diferenças de votos não foram assim tão pequenas! Classifiquei-me com 745, suados votos. Sendo que a última classificada tem apenas 342. Quando eu tinha esse número de votos, estava desesperada e me desgastei muito mais pra aumentar esse número. Sabe quando você se sente uma palhaça por ter feito uma coisa, que no final nem era necessária? Se eu soubesse que com metade dos votos que eu consegui, pedindo de um por um, eu já estaria na final, não teria deixado tanta coisa passar pra ficar fazendo mais campanha.

Sei também que toda essa minha boca no trombone pode me prejudicar. Afinal, pelo que parece, eu sou a indignada do Concurso, então posso parecer daquelas que não acham que o importante é participar, uma pessoa não solidária às outras ou coisas parecidas. Mas se eu não me resignei antes, agora eu o faço. Claro que se eu ganhar, vou ficar contente. Mas um sentimento de indiferença tomou conta de mim e eu já nem sei mais o que pensar de tudo isso.

E decidi desabafar agora, pra depois não dizerem que só o fiz porque não ganhei o prêmio. Graças a Deus, já viajei pros EUA, ainda esse ano vou passar minha lua de mel no exterior e se eu quiser muito, posso conhecer NY com os meus próprios recursos. Mas esse alargamento deles, mexeu com outros sentimentos meus, sentimentos mais profundos. Não chorei porque talvez fiquei mais longe de ser a escolhida e ganhar a viagem, chorei porque me senti ferida, traída, desolada.

Mas enfim, todos esses sentimentos são meus e só cabe a mim, e quem sabe aos ouvidos de vocês e da minha psicóloga, me reerguer e curá-los.

Assim que eu tiver um tempo, quero dar uma lida nos 15 textos finalistas pra ver com quais parâmetros estou competindo.

Como eu já tinha pensado em fazer, deixo aqui a lista dos textos mais votados pra vocês também poderem fazer os seus julgamentos.

Agora é aguardar.

beijo beijo

Coloquei o número de comentários pra vocês perceberem a disparidade muitas vezes, do número de pessoas que votaram e o número de pessoas que perderam um tempo elogiando os textos.

Primeira colocada: Keiko Thomas, autora do Blog “Tirando os Sapatos” – Texto “Sem controle”. Que obteve 860 votos e 141 comentários.

Segunda colocada: Carolina Pacheco, autora do Blog “Carol e suas Baby-Bobeiras” – Texto “Para Sempre”. Que obteve 840 votos e 72 comentários.

Terceira colocada: Xana Azevedo, não achei se ela tem blog – Texto “A árvore da vida”. Que obteve 779 votos e 35 comentários.

Quarta colocada: eu, autora desse blog que vos escreve – “Enquanto te espero”. Fiquei com 745 e 108 comentários.

Quinta colocada: Isabela Kanupp, autora do blog “Para Beatriz” – Texto “Sobre aquilo que ninguém me contou”. Que obteve 709 votos e 55 comentários.

Sexta colocada: Jamilly Lima, não achei se ela tem blog – “Da vida ao amor”. Que obteve 708 votos e 58 comentários.

Sétima colocada: Patrícia Boudakian, autora do blog “Patrícia Boudakian” – Texto “A maior força do mundo”.  Que obteve 701 votos e 107 comentários.

Oitava colocada: Adriana Bouzan, autora do blog “Aprendendo com o Theo” – Texto “O palavrão…”. Que obteve 695 votos e 86 comentários.

Nona colocada: Angi Simon, autora do blog “Mãe de Guri” – Texto “A expectativa é a vilã da maternidade”.  Que obteve 692 votos e 112 comentários.

Décima colocada: Nívea Salgado, autora do blog “Mil dicas de mãe” – Texto “O que deixar…”. Que obteve 678 votos e 84 comentários.

AS QUE ENTRARAM COM A ALTERAÇÃO DAS REGRAS DO CONCURSO:

Décima primeira colocada: Luíza Diener, autora do blog “Potencial Gestante” – Texto “Coisas que quero ensinar ao meu filho”.  Que obteve 622 votos e 54 comentários.

Décima segunda colocada: Anada Etges, autora do blog “Projeto de mãe” – Texto “Senta que lá vem história: o cocô”. Que obteve 585 votos e 95 comentários.

Décima terceira colocada: Paloma Varón, autora do blog “Peripécias de Cecília e fofices de Clarice” – Texto “Como a chuva molha o que se escondeu”. Que obteve 474 votos e 57 comentários.

Décima quarta colocada: Laura Dutour, autora do blog “Laura Dutour” – Texto “Câncer”. Que obteve 352 votos e 108 comentários.

Décima quinta colocada: Luciana Almeida Tub, não achei o blog dela – Texto “Ode to Uri”. Que obteve 342 votos e 58 comentários.

Anúncios

5 respostas em “Noticías do Concurso.

  1. Absurdo como muita coisa que ocorre por aí, porém esse tipo de sacanagem não me espanta, realmente vc tem toda razão, mas valeu pelo teu texto que realmente é muito bonito, parabéns Juliana e vc já pode se considerar vencedora pelo que já conseguiu.

  2. Concordo com vc ju e com o que minha prima falou, mas não abala em nada teu talento para escrever, marmelada é o nome do mundo que vivemos, mas continua com teu sonho, tem muita gente torcendo por vc e que acredita neste teu dom, parabéns e teu texto já é vencedor para muitos viu? bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s