Os 10 “pecadinhos” aceitáveis.

Hoje teve post meu no blog “Delicinhas de Pera”, falando um pouco sobre relacionamentos.

E pegando carona no assunto sobre o qual escrevi lá, decidi falar também um pouco sobre ele aqui, nesse blog que vos escreve.

Como eu tenho dito, apesar de já morar há 3 anos com o Marco, os preparativos e a aproximação do casamento, vem fazendo com que eu reflita mais sobre o tema “Relacionamento a dois”. E foi na sexta feira passada, durante um almoço em que estávamos só eu e o Marco, e depois de eu ter lido um pouco mais sobre quem foi Simone de Beavouir, que decidi fazer um exercício sugerido pela minha coaching.

A ideia é que cada um liste 10 pecados, no sentido de coisas que não gosta que o outro faça, que você se dispõe a aceitar/tolerar. Porque vamos combinar, que mesmo quem vive um relacionamento bacana, aonde uma das partes geralmente esta disposta a mudar um pouquinho, pra agradar a outra ou a se adaptar a outra, existem algumas manias ou características nossas, que nem por um decreto, ou mesmo depois de inúmeras discussões, vamos conseguir deixar de ter.

Ó, o exercício é pra ter uma conotação positiva, ok? Pelo menos eu e o Marco demos muitas risadas fazendo ele.

Se o casal não possui grandes questões a serem resolvidas entre os dois, esses 10 “pecadinhos”, provavelmente vão tratar de questões de natureza tola e corriqueira. Como deixar a roupa jogada no chão ou não tirar o sapato quando chega em casa. E assim, lembre-se que depois de os dois terem feito suas listas, cada vez que o outro, como já é de costume, cometer um dos pecados que estão na sua lista, você não poderá recrimina-lo e nem iniciar uma discussão por conta disso. Por isso, pense bem no que pode ser negociado entre vocês dois ao elaborar essa lista.

Tudo isso serve para que nós nos atentemos ao fato de que alguns motivos pelos quais nos irritamos diariamente, não são assim, tão plausíveis de pertubação da paz do outro e da sua mesmo. Que se o seu companheiro insiste em deixar suas chaves em cima da mesa da sala, mesmo você tendo pendurado na parede um utensílio específico pra isso, não significa que vocês tenham que brigar. Porque são justamente esses desgastes do dia a dia, muitas vezes totalmente desnecessários, que podem contaminar um amor, que na sua essência é super bacana e verdadeiro. E no decorrer dos dias, após vocês terem feito suas listas, pode ser que o outro sem perceber, mude. Pode ser que vocês passem a não brigar tanto, por motivos pequenos e que passem a se amar mais por estarem se respeitando mutuamente.

Só pra exemplificar o exercício, e talvez deixar mais clara a sua proposta, vou enumerar alguns dos pecados inseridos da minha lista e na do Marco:

“10 pecadinhos aceitáveis” – por mim:

– abstrair o acúmulo de dezenas de papéizinhos no aparador ao lado da porta de entrada (vocês não imaginam o quanto isso me irrita-VA e o tanto de tempo que eu já perdi na vida tentando organizar a desorganização do Marco).

– respeitar o fato de você ser viciado em assistir televisão (antes eu ficava horas e horas discursando sobre o prejuízo desse costume, mas hoje eu aproveito pra ler os meus livros ou fazer outras coisas que eu gosto de fazer, sozinha).

– ignorar as chaves jogadas em cima da mesma (agora ou eu ignoro mesmo ou eu mesma penduro atrás da porta).

– aceitar o fato de que você às vezes é muito negativo no seu modo de enxergar as coisas (há um tempo atrás eu tentava fazer com que o Marco visse as situações por um outro ponto de visto, hoje eu apenas sorrio porque sei que esse é o jeito dele, é tudo que ele tem pra oferecer nesse momento).

“10 pecadinhos aceitáveis” – pelo Marco:

– abstrair que você sempre toma quase toda a água que eu levo pro quarto antes de dormir (não vou me justificar porque ele não esta aqui pra se defender…hahahaha…mas ele ficava muito brabo por isso. Principalmente pelo fato de que eu sou viciada em água, então quando bebo, bebo quase uma garrafa inteira).

Ficou claro o exemplo? A lista do Marco, ainda esta bem incompleta (ou porque eu sou quase perfeita ou porque ele não esta afim de negociar nenhum pecadinho meu) mas tem alguns itens que são de ordem totalmente particular, então, não pude compartilhar com vocês.

Pensando sobre esse exercício, percebi que mesmo eu sendo super adepta de uma boa organização, não vou morrer se o Marco não pendurar as chaves ou não organizar os seus papéis. Porque essa é uma característica dele e ele tem tantas qualidades, que eu prefiro abstrair e respeitar o que eu não gosto, com o fim de viver uma relação mais pacífica e legal com ele. E tudo o que eu enumerei na minha lista, realmente são questões passíveis de aceitação. Mas tem coisas como “não prestar atenção quando eu estou falando” ou “escutar a televisão no volume máximo”, que eu não aceitarei jamais e que eu acredito que ele possa melhorar pra que nosso caminho aconteça de uma forma mais harmônica.

Só mais um detalhe. Fiquem atentos para jamais iniciarem a frase com um “não”, porque segundo a minha coaching, quando analisa os meus deveres de casa, o cérebro não lê essa parte e fixa exatamente no que vem depois dela. Por exemplo, se eu digo “Não brigar mais porque…”, ele vai focar no verbo “brigar” e toda a magia da brincadeira vai por água abaixo.

Então bóra sentar com o companheiro e exercer essa tentativa de buscar uma relação melhor?

Depois me contem como foi.

Boa semana, que a minha esta cheia de novidades legais, que depois eu conto pra vocês.

beijo beijo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s