Cadê os bons costumes?

Hoje tem post meu lá no Delicinhas de Pera!

Antes do meu post aqui, que catei aqui nos meus rascunhos porque estou sem muito tempo pra escrever, queria pedir mais uma vez o voto de vocês!

Sexta feira passada tive quase 300 acessos aqui e só UMA pessoa entro no link que eu pedi pra votar em mim. Oh gente, é tão rapidinho!! Sempre recebo muitas mensagens de pessoas agradecendo pelos textos que eu escrevo. Então venho aqui só pra pedir que vocês façam com que um desses meus textos me renda um certo lucro…hahaha…como essa viagem pra NY!!

Cada conta do facebook pode votar apenas uma vez. Os dez textos mais votados vão pra um júri que então escolherá o melhor! Eu sei que o meu texto é bom e tem chances, mas primeiro eu preciso passar por essa fase de votação!

Primeiro você acessa a sua conta no facebook, depois clica AQUI  na página da Limetree pra curtir a página. Depois você entra direto AQUI no meu texto e vota! Por enquanto estou na décima primeira colocação. Sendo que preciso de uns 40 votos pra ultrapassar o décimo colocado e ficar entre os dez mais votados. A votação vai até 06 de julho, então ainda tem muito chão e cada voto é importante. ENTÃO VOTEM, OK? Estou quase comprando votos já…hahahaha.

Agora vamos ao texto!!! Ou quer dizer, a um desabafo devido a minha necessidade de expressão!!!

Eu poderia ficar horas aqui escrevendo sobre o sumiço dos bons costumes nos dias de hoje. Garanto que vocês, leitores, pelo menos os que ainda tem bom senso, também devem se fazer essa pergunta e se indignar com casos que acontecem diariamente por aí. Mas e daí,o que fazemos? Discutimos? Argumentamos? Saímos no tapa? Mandamos cartas para os jornais? Fazemos uma passeata, greve de fome? Cada um extravasa a sua inquietação de alguma forma e eu vomito a minha aqui, no blog.

O que vocês entendem por “preferencial”? Pra mim, de uma forma bem leiga, preferencial significa dar preferência. Então no caso de alguma alguém ser preferencial à você significa que esse alguém tem um certo tipo de preferência, geralmente causada por uma necessidade ou um grau de importância ou condição. Os casos mais comuns aonde acontece essa preferencialidade são àqueles em que pessoas, por algum motivo, geralmente alheio à suas escolhas, precisam ter prioridade, precisam daquilo mais do que você. Idosos, gestantes, mães com crianças de colo (leia-se DE colo, e não NO colo) ou deficientes físicos na maioria dos lugares públicos ou privados, merecem a preferência por terem condições menos favorecidas do resto dos capazes. Você já ficou velho, sabe o cansaço que eles sentem e os problemas óbvios de articulação que a velhice lhes causa. Não estou falando aqui de velhos rabugentos ou preguiçosos. Estou falando de pessoas que já viveram bastante tempo e que por isso, o corpo já não corresponde como antes. Você já ficou grávida? Já carregou alguém dentro da sua barriga? Já teve pernas inchadas, costas doloridas ou um sono sem fim? Você já teve uma criança de colo? Que por razões óbvias ainda não anda ou engatinha, ou seja, precisa simplesmente de um colo. Bebês, que não são coisas, não podem ser simplesmente deixados num canto, enquanto você espera numa fila e depois volta pra buscá-lo. Você já andou de cadeiras de rodas, já andou de muleta ou andador, já teve um membro fraturado? Já, já, já?

Caso você esteja pensando o que muita gente, mal criada (entendam da forma literal mesmo, pessoas que não tiverem uma boa criação), pensa e até fala: “Então por que não ficam em casa ao invés de frequentar esses lugares?”, por favor, arraste essa setinha da tela do computador até o canto direito, logo ali em cima e clique. Puf. Obrigada.

Agora que eu estou apenas com as pessoas sensatas, vou continuar o desabafo.

Gente, pessoas idosas, grávidas, mães de bebês ou deficientes não vão morrer enfurnados em casa, ou muitas vezes não tem quem faça as coisas por eles e precisam continuar vivendo. Isso quer dizer, ir em mercados, farmácias, banco, shopping, etc. Então se um dia você cruzar com um deles, por favor, DÊ A PREFERÊNCIA!!! Porque um dia pode ser a sua vez de precisar dela!

Deu pra entender o recado?

Agora vou contar um episódio que aconteceu comigo esses dias. Um dos, porque eu vivo indignada com a falta de educação das pessoas. Quando eu estava quase parindo o João, muitas vezes até pegava a fila comum e quando alguém me deixava passar, parecia que o resto queria me fuzilar com os olhos. O que é isso? Em que mundo vivemos?

Então. Esses dias eu fui na shopping com o João, que estava dormindo no carrinho, com a minha irmã e cunhado. Além de ser proibido o uso de carrinhos de bebês nas escadas rolantes por razões de segurança, o João estava dormindo, então eu realmente precisava pegar o elevador. Quando o mesmo parou no andar das garagens pra gente descer, já quase não havia espaço pra eu entrar. Mas fui me enfiando e minha irmã e meu cunhado foram de escada rolante (ROLANTE, SABE AQUELA QUE ROLA? QUE VOCÊ NÃO PRECISA MOVER UM MÚSCULO PRA DESCER). Já indignada parei pra observas os tipos que estavam ao meu redor. Jovens, jovens e jovens. Todos saudáveis, com duas pernas conversando e nem aí pra nada. Descemos um andar e o elevador parou de novo. Abre a parto e uma mulher com um recém nascido no colo, um carrinho de bebê e duas crianças pequenas olha pro elevador e fica quieta. Todos dentro do elevador olham pra ela e fingem que nada esta acontecendo. Daí a mulher olha e diz: “Deixa”. Rá! Na mesma hora eu disse “Deixa nada! Desce todo mundo do elevador porque ela PRECISA entrar com o carrinho e todo mundo aqui pode muito bem ir andando!”. Juro que na hora me sobe o sangue e a vontade é tirar todo mundo na porrada. Um olha pro outro e meio sem graça, descem do elevador. Só uma senhora que estava apertada no cantinho tenta me explicar que é idosa e tal. Óbvio que eu digo que ela sim pode ficar. Seguro a porta e a família entra no elevador. Eu fui grossa? Eu fui estúpida? Não! Eu fui justa. Cansei desses palhaços que não entendem que carrinhos de bebês ainda não voam e que nós MÃES, precisamos usar o elevador!

Isso aconteceu no Beiramar Shopping, aonde os elevador de serviço ficam na garagem, o que dificulta um pouco a sua utilização. No Iguatemi eu nem tento usar o principal. Já vou direto dos auxiliares.

Ah, fala sério. Precisava falar isso aqui. E se um dia você, pessoa NÃO PREFERENCIAL estiver dentro de um elevador lotado e quando a porta abrir você me encontrar com o João sentado ou dormindo no carrinho, sai bem rapidinho. Se não, eu juro, já chego dando um chute frontal, um lateral, um na costela e uma joelhada. Brincadeiras e exageros à parte, deu pra entender o que eu quis dizer né? Mas mãe é leoa hein.

beijo beijo

Anúncios

Uma resposta em “Cadê os bons costumes?

  1. Oi Ju! Falando do concurso, votei hoje pelo face da minha filha ( Raíssa Quintas) Não conseguimos votar novamente, bjos, boa sorte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s