Tricotando…

Filho tomando mamadeira, marido ainda não chegou, Mister Maker na telinha, então vamos tricotar…

Gente, como que a Carrie Bradshaw fazia quando falava de alguém da sua vida na sua coluna no jornal? Não me lembro de muitos capítulos em que se abordasse essa questão. Porque eu realmente tenho que cuidar muito com o que eu escrevo aqui, realmente tem MUITA gente que eu nem imagino que me lê. E tem muita gente que me adora mesmo, sabe? Mas que bom e como eu só ando falando bem das pessoas e as pessoas só vem falando bem de mim, esta tudo tranquilaize. Ser uma pessoa muito crítica como eu é uma verdadeira bosta (resultado da co-dependência), porque se eu não me cuidar, estou sempre formando opinião sobre tudo e todos e posso acabar passando a imagem de uma pessoa intragável (não que às vezes eu não seja). Então eu sempre tento dosar, porque também não adianta eu querer parecer a Madre Teresa. As meninas que trabalham comigo dão risadas porque tem vezes que eu quero ser muito eu mesma, e falar umas verdades na cara das pessoas (e àààs vezes quando eu posso eu falo mesmo) mas eu respiro e sorrio. Só. Se eu falar sou grossa e se eu fingir que gosto, sou falsa. Oh sacola!

Então que eu ando muito feliz com a quantidade de acessos aqui. E também estou gostando que o pessoal esta comentando mais. Essa é uma forma de eu saber qual tipo de texto as pessoas gostam mais e o que estão achando deles. Sei que nem sempre a gente comenta, eu mesma NUNCA comento nos meus blogs favoritos. E eu tento sempre responder os comentários, ou aqui, ou no facebook. Falando em face, lá eu realmente só adiciono quem eu conheço. Como às vezes exponho bastante a minha vida (e isso é um problema meu mas podem deixar que fotos pelada eu nunca tirei pra sorte de vocês), tento pelo menos lá, restringir um pouco mais quem tem acesso à ela. Assim como no Instagram, meu novo vício. Realmente não preciso de muitos seguidores pra me sentir feliz. Se não sei quem é, nego mesmo. Não tenho pretensão de ficar famosa com as minhas fotos, mas respeito quem tem elas liberadas e quatrocentos mil seguidores desconhecidos. Porque eu sou super curiosa e adoro ver as fotos dos outros.

Já falei que adoro entrevistas né? Porque adoro saber da vida das pessoas (e como tenho boa memória e sou boa fisionomista, lembro de todo mundo), tanto famosas, quanto anônimas e interessantes aos meus olhos. Daí que hoje na Saraiva, enquanto tomava um café e um filho da puta de um guarda municipal multava meu carro lá na rua, li 2 entrevistas da atriz Cláudia Abreu. Uma na revista Cláudia e outra numa revista de fofoca, que jurei nunca mais comprar (em apoio ao texto magnífico e persuasivo escrito pelo charmosérrimo Wagner Moura) mas como nesse caso eu leio e devolvo pra prateleira, ta valendo! Cara, a mulher tem quatro filhos (ganhou da minha vizinha)! O último veio sem querer, querendo sabem como é né, enquanto o terceiro ainda era bem babyzinho. Mas ela encarou o desafio de frente e pelo jeito é daquelas bem mãezonas mesmo. E as entrevistas e a história da minha vizinha ontem fizeram eu lembrar de uma prima minha que tem o mesmo nome que eu. Ela também tem 3 filhos e segundo a minha tia (com quem eu tenho mais contato porque mora aqui em Floripa) a Jú “Grande” (porque eu sou a mais nova, portanto, a “Pequena”), é até irritante de tão calma que é….hahahaha. Quase não vejo a minha prima porque ela mora em POA (a última vez que nos vimos foi numa esbarrada no intervalo do show da Norah Jones lá) mas também admiro ela demais. Por toda a sua história e a sua coragem de ter 3 filhos. E os três são uma graça! Queridos demais! Quem sabe eu não me torne uma pessoa mais paciente e também encare mais dois…quem sabe!

Mais um tricote…ontem, dia 09, um casal de amigos meus (vizinhos, colega de trabalho, amigos) comemorou 15 anos de relacionamento, entre namoro, casamento e formação de uma família linda. Admiro muito eles por vários motivos mas muito pela forma como respeitam o instituto do casamento! A Silte, então, querendo fazer uma surpresa pro Boeno, mandou produzir uma faixa e colocou no hall do andar deles. Mas o Boeno, de certo ficou tão feliz que colocou a faixa na sacada! Quem passa e olha deve achar brega, mas o amor é brega, não? E que delícia ser brega, fazer declaração, escrever cartas, compor músicas, preparar jantares. Poder ser brega significa ser livre, e significa que você realmente encontrou um amor, com quem “breguiar”. Parabéns casal! Obrigado por encher o mundo com declarações bonitas, um mundo tão sujo de notícias tristes. Obrigada por nos lembrar de acender todo o dia a esperança de que ainda acontecem coisas boas nessa vida!!

A foto eu roubei do facebook do Boeno e avisei os 2 que eu ia falar deles aqui. Porque como diz a minha amiga, daqui a pouco estão pedindo autógrafo pra mim, então vou ter que começar a pedir pras pessoas assinarem um termo antes que eu tenha problemas!!

Acabaram os tricotes! Amanhã tem mais!

beijo beijo

Anúncios

2 respostas em “Tricotando…

  1. Que legal esse post Jú, e parabéns a Silte e o Boeno =)
    E em relação ao amor a gente sempre fica um ser brega, quando se está amando! Mas tem coisa melhor? Acho que ficamos bregas pq tentamos expor algo, o sentimento que muitas vezes é tão grande e que sai meio “torto” na exposição , pq nada cabe nas palavras ou gestos hahaha e como me divirto com isso!!! bjuss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s